A fixação de pequenos navios cruzeiros na Boa Vista ou no Sal

O presidente do conselho de administração da Enapor – Portos de Cabo Verde, Jorge Maurício frisou na sexta-feira 25, a possibilidade, de uma companhia de pequenos navios de cruzeiro fixar uma base no porto da Boa Vista ou no Sal vai diversificar a oferta turística do arquipélago, ainda indicou que as pessoas que vêm a Cabo Verde podem utilizar o país como ‘home port’ para fazerem o ‘fly cruise’”, ou seja especificou que turistas que voam para o Sal ou para a Boa Vista, ficam uns dias, e depois fazem um cruzeiro em Cabo Verde, visitando as outras ilhas.

Este é um serviço turístico do clássico sol e mar com o turismo de cruzeiro interno, que trata-se de uma “oferta complementar, uma combinação”. O presidente do conselho Jorge Maurício afirmou que “Isto de facto vai ter o condão de aumentar a cadeia de negócios e de serviços de todos os operadores da área do turismo”. Enapor constatou que pequenas companhias de cruzeiros estão a demandar Cabo Verde, que é muito importantes para o mercado cabo-verdiano, pois conseguem fazer várias escalas em todas as ilhas do país ou seja não ficam confinadas aos dois portos principais (São Vicente e Praia). Atualmente Cabo Verde dispõe entre três e quatro navios por dia a circular em diversas ilhas e portos do país e vai entrar mais uma quinta companhia para esse segmento para o ano 2020/2021, é uma  indicação com a proposta da criação de base porto numa das ilhas turísticas, e que vem juntar-se às companhias Noble Caledonia, Poignant, Variety Cruise e Apagloid.

Para além das escalas habituais de navios de cruzeiro de grande porte nos maiores portos do país, de Outubro a Abril, na casa das quatro dezenas, este ano o Porto Grande do Mindelo foi incluído na rota da Volta ao Mundo do navio MSC Magnifíca.

 

Fonte:  inforpress.cv