Fauna em Cabo Verde

Fauna Terrestre

A fauna Cabo Verdiana é relativamente pobre e constituída principalmente por animais domésticos como cão, gato, aves, pequenos répteis e também besouros e insetos endémicos. Outros animais existentes no arquipélago como cavalos, burros, vacas ou cabras, podem ser encontrados em quase todas as  ilhas. O mesmo vale para o macaco verde (Cercopithecus aethiops), presente em algumas áreas de Santiago e Brava, proveniente do continente Africano, e o sapo-cururu (Rhinella diptycha). 

Entre as principais espécies de fauna, têm especial importância as aves, nomeadamente a passarinha, o corvo e a corredeira. Em termos de fauna, contam-se 755 espécies vegetais, das quais se 83 endémicas e 224 indígenas. O dragoeiro é particularmente importante por tratar-se de uma árvore cuja presença antecede o descobrimento do próprio arquipélago.

83 - Seleçao
Acre_ Chioninia spinalis boavistensis
DSC_0066

Aves de Cabo Verde

A avifauna de Cabo Verde é caracterizada por uma notável biodiversidade e inclui cerca de 150 espécies. A passarinha (Halcyon leucocephala) é um pequeno pássaro em tom azul, branco e castanho escuro, com um longo bico vermelho, presente nas ilhas de Santiago, Fogo e Brava. Esta espécie foi adotada quase como um símbolo nacional no arquipélago, sendo usada nas moedas de 10 escudos e em entidades públicas e privadas, com o seu nome científico escolhida para nomear até uma companhia aérea do país (Halcyonair). 

A fragata (Fregata magnificens) é uma espécie rara e tipicamente residente na ilha da Boavista e que quase se encontra em extinção. A última observação desta espécie ocorreu em 2016. Com mais de dois metros de envergadura, esta espécie reproduzia apenas em ilhotas de Curral Velho e Baluarte, ao sul de Boavista, e em pequeno número.

163 - Seleçao

O corvo (Corvus ruficollis) é uma das aves vistas com mais frequência em Cabo Verde. É a única ave totalmente de cor preta do arquipélago, tem cerca de meio metro, e a maior população desta espécie concentra especialmente na ilha de Santiago, bem como diversas espécies de garça-vaqueira (Bubulcus íbis) migrante, conhecidas localmente como manel pastor por acompanhar os quadrúpedes nas pastagens, capturando insetos que se soltam das ervas. A chegada delas costuma ser um espetáculo bucólico e ao anoitecer buscam grandes árvores para descansarem. 

O Alcatraz (Sula leucogaster) é uma das espécies mais conhecidos no arquipélago, particularmente na Brava, Santiago e Boavista. É um espécie residente do país e mantém-se sempre ao redor das águas e da costa à procura de alimento.

Em solos pedregosos ou arenosos do país, é possível deparar frequentemente em um pequeno pássaro chamado Corredor (Cursorius cursor), com uma camuflagem que confunde-se com a paisagem. É bastante rápida e no ar, exibe uma vistosa faixa branca na parte inferior das asas. A Pilrito Sanderlingo (Calidris alba) é visto nas praias tranquilas de Cabo Verde acompanhando o movimento do recuo das ondas na areia alimentando-se de pequenos crustáceos. O Carricero de Cabo Verde (Acrocephalus brevipennis) é uma das aves endémicas do arquipélago. Reside em várias ilhas e é conhecido localmente por “tchota-de-cana” ou “tchintchirote”. 

A Laverca do Raso (Alauda razae), possui cerca de 13 cm, é uma das aves mais raras do mundo, encontradas unicamente em Cabo Verde nos ilhéus entre as ilhas de São Nicolau e Santa Luzia, alimentando-se de gramíneas. A sua extinção é considerada de alto risco ou crítica.

81 - Seleçao
DSC_7310
DSC_7279

Fauna Marinha

A variedade de espécies de peixe nas águas de Cabo Verde é notável. Dentre muitos outros, aqui selecionamos algumas como bentopelágicos, pelágicos e outros.

Bentopelágicos:
– a garoupa Atlântica (Cephalopholis taeniops)
– o linguado do canal (Syacium micrurum)
– a moréia favo de mel (Muraena melanotis)
– a moréia boca roxa (Gymnothorax vicinus)
– o pagello (Pagellus acarne)
– a garoupa das ilhas (Mycteroperca fusca)

Pelágicos:
– o wahoo ou acantocibio (Acanthocybium solandri)
– o peixe arco-íris (Elagatis bipinnulata)
– o peixe golfinho (Coryphaena hippurus)
– o peixa San Pedro (Zeus faber)
– o barracuda (Sphryraena guachancho)

Peixe de profundidade:
– o carango dorado (Caranx crysos)
– o palombo (Mustelus mustelus)
– o cantarilho (Scorpaena scrofa)
– a garoupa roxa (Mycteroperca rubra)
– o charuteiro com nervuras (Seriola rivoliana)
– o cantarilho do fundo (Helicolenus dactylopterus)
– a garoupa branca (Epinephelus aeneus)
– o pagro africano (Pargus africanus)
– várias espécies de sargo

O Peixe-voador (Exocoetus volitans), é uma espécie que pode ser observado, dando os seus longos saltos fora da água em uma excursão de catamarã ou pesca desportiva. A fauna marinha cabo verdiana é rica. Recheado espécies migratórias como o atum de rabo-seco (Thunnus albacares), o espadarte (Xiphias gladius) a baleia-jubarte (Megaptera novaeangliae) tartarugas marinha e muitos golfinhos. 

Há uma grande variedade de crustáceos nos mares de Cabo Verde, sobretudo na plataforma submarina baixa que une as três ilhas mais a oriente (Sal, Boavista e Maio), entre os quais a espécie mais endêmica é a lagosta rosa (Panulirus charlestoni).

Já a quantidade de pescado não é tão significativa como comparando a enorme área marinha do arquipélago (200 vezes superior aos  4.000 km2 de terra), devido à insuficiência de plataformas de baixas, que são limitadas a pouco mais que aquela que envolve as ilhas a leste (Sal, Boavista e Maio). Calcula-se que a captura anual nas águas de Cabo Verde é de cerca de 40.000 toneladas, mas apenas um quinto deste contingente é pescado, quase sempre de forma artesanal, por uma frota de pouco mais de mil botes, usados por cerca de 3.000 pescadores.

Nas águas rasas de Cabo Verde também podemos encontrar diversas espécies representativa de corais como:

Os corais mais comuns:

  • a schizocubina africana
  • a favia fraguant (em águas rasas)
  • vários porites (como os porites asteróides, em águas mornas e protegidas)
  • siderastrea, millepora e madrepore (em águas mais profundas)

Na primavera é possível observar as baleias migratórias (principalmente baleias jubarte) que costumam aparecer muito próximas da costa da ilha da Boavista. Alguns barcos oferecem um serviço de navegação diário, cerca de 4 horas, para ver e aproximar destes magníficos animais. Mais informações podem ser encontradas aqui na página: EXCURSÃO DE BALEIAS

Durante o verão é possível observar a nidificação de centenas de tartarugas marinhas nas ilhas da Boavista, Sal e Maio. Mais informações podem ser encontradas na página: EXCURSÃO DE TARTARUGAS